O novo sistema visa, fundamentalmente, promover justiça social e fiscal corrigindo distorções históricas existentes na cidade, onde grandes propriedades, algumas localizadas em locais privilegiados, pagam pouco, enquanto imóveis situados em regiões de menor apelo imobiliário e que atendem pessoas mais simples, proporcionalmente, oneram bem mais os seus proprietários.